terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Momento da poesia cristã - Reconhecimento tardio

Soneto de: Miton Adones Vieira

Se o sopro da vida e a inspiração,

Por ordem de Deus me vierem faltar,

Gravado em papel, na forma de letras,

Suas teses escritas, hão de ficar.

Falando às consciências, que talvez na existência,

Não tiveram a audácia e a fidalguia,

De merecida honra ao poeta ortorgar.

Mas ficou seu autógrafo - para recordar.

Agora, o nobre, mas pobre; o indouto escritor,

Partiu desta vida e se foi pra outra vida,

Morar lá no céu, com Nosso Senhor.

Sem dar despedida, sua alma ferida,

Encontrou guarida no reino de amor.

Pois trilhou nesta vida, nos caminhos do amor!

Lembre-se: Nunca deixe de reconhecer uma virtude em alguém. Não espere alguém morrer para então comentar os seus talentos ou valores. Jesus, como o maior Profeta, lamentou que os seus, não o reconheceram! Mt 13.57 e 23.37.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita, deixe aqui seu comentário.